A tremenda sorte dos EUA na Batalha de Midway

0
1986
EUA na Batalha de Midway
EUA na Batalha de Midway

A Batalha de Midway talvez possa ser lembrada como uma das batalhas mais espectaculares da história naval e um dos grandes pontos de viragem no teatro do Pacífico, mas começou como uma operação militar na qual vários aspectos estavam a dar errado para os americanos.

Apesar de entrar em combate com a quase totalidade da estratégia dos japoneses no seu bolso graças aos criptoanalistas americanos, a Marinha dos EUA não conseguiu alcançar resultados satisfatórios. Quase todos os aviões que entraram em batalha com os japoneses nesse dia foram destruídos, e todos sem conseguirem infligir danos de maior no inimigo. Em suma, a Batalha de Midway começou como a Batalha de Endor (da saga “Star Wars“), só que com cada caça da frota dos rebeldes a colidir no escudo deflector da Estrela da Morte.

O que é estranho:

Houve um esquadrão de bombardeiros de mergulho americanos liderados pelo Tenente Comandante C. Wade McClusky Jr., que se perdeu no caminho para a batalha. Ficaram tão perdidos que perderam inteiramente o banho de sangue inicial que destruiu todos os aviões aliados. Quase sem combustível e a voar às cegas no meio do Oceano Pacífico, o comandante McClusky fez jus à sua enorme intrepidez e prosseguiu na busca da frota Imperial da vida real.

Os aviões do seu esquadrão começaram a cair como moscas até que, num acontecimento de pura sorte que faria com que até JK Rowling revirasse os seus olhos, McClusky tropeçou num destroyer japonês. Quando McClusky ergueu os seus olhos para o horizonte pôde contemplar a frota imperial japonesa, do Sol Nascente e constatou “Era mesmo a Marinha do inimigo a qual eu estava à procura!” Claro que, a julgar pelos acontecimentos anteriores, isto significava morte certa.

Aviões japoneses

O que é ainda mais estranho:

Se ter encontrado os navios foi sorte, por uma qualquer coincidência incrivelmente afortunada, o esquadrão de McClusky chegou no preciso momento em que todos os três porta-aviões japoneses estavam a re-abastecer e a re-armar os seus aviões.

Em questão de minutos, os porta-aviões japoneses Kaga, Akagi e Soryu – assim como todos os seus aviões – foram destruídos num ataque que causou a baixa de alguns dos melhores marinheiros e pilotos da Marinha Imperial japonesa. O quarto porta-aviões Hiryu foi afundado num contra-ataque no dia seguinte, acabando efectivamente com a força de ataque que tinha efectuado o ataque a Pearl Harbor.

Este prémio de lotaria, saído por duas vezes no mesmo dia, ditou a primeira derrota da Marinha japonesa em quase 300 anos, e uma vitória esmagadora para os americanos, algo do qual os imperialistas nunca conseguiriam recuperar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here