Albert Pike e o plano para um Governo Mundial

0
2115
Albert Pike e o plano com os Illuminati
Albert Pike e o plano com os Illuminati

Weishaupt morreu em 1830 com a idade de 82 anos. Em 1834, Giuseppe Mazzini, tomou o cargo da direcção da ordem dos Illuminati da Baviera até à sua morte em 1872. Durante a sua presidência nessa ordem, ele correspondeu-se com o satanista Albert Pike, “Grão-mestre soberano do Antigo e Honroso Rito Escocês dos franco-maçons” na jurisdição do sul dos Estados Unidos e futuro fundador do “Ku Klux Klan”.

Pike foi nomeado por Mazzini, dirigente das operações para os Illuminati da Baviera nos Estados Unidos. Ambos colaboraram enquanto Illuminati de alto nível.

Pike encarregou-se dos aspectos teosóficos das operações; Mazzini, daqueles que estavam ligados com a política. Quando as lojas franco-maçónicas do Grande Oriente foram desacreditadas após as actividades revolucionárias de Mazzini na Europa, este apresentou um plano genial a Pike.

Eis aqui um trecho da carta que Mazzini escreveu a Pike em 22 de Janeiro de 1870:

Nós devemos permitir a todos os agrupamentos que continuem a exercer como o fizeram até o presente, os seus sistemas, as suas organizações centrais, a sua maneira de corresponder-se entre os graus elevados do mesmo ritual, mantendo a sua forma de organização atual. Mas ser-nos-á necessário criar um super-ritual, que deverá manter-se desconhecido e será constituído somente de maçons de alto grau que nós mesmos escolhermos. Esses homens devem ser colocados em absoluto segredo em relação aos nossos irmãos. Esse rito supremo permitir-nos-á reger a Franco-Maçonaria no seu conjunto, que se tornará ainda mais poderosa, uma vez que se ignorará quem é o cabeça. («Lady Queensborough: «Occult Theocracy» de Lady Queensborough, p. 208-209 e «Die Insider» de Gary Allen)

Trata-se provavelmente da elite do 33.º grau do Rito Escocês. A ideologia desse grau é tratada no capítulo que se segue.

Numa carta de 15 de Agosto de 1871, Pike apresentou a Mazzini, dirigente dos Illuminati, um plano grosseiramente traçado, visando a conquista do mundo, por meio de três guerras mundiais, para erigir a “Nova Ordem Mundial”.

Albert Pike
Albert Pike

A Primeira Guerra Mundial seria colocada em cena para que os Illuminati da Baviera tivessem um controlo directo sobre a Rússia dos czares. Em seguida, para que a Rússia pudesse ser utilizada como a “besta negra”, que serviria aos desígnios dos Illuminati da Baviera à escala mundial.

A Segunda Guerra Mundial seria criada inteiramente manipulando-se as opiniões divergentes que reinavam entre os nacionalistas alemães e os sionistas politicamente engajados. Isso levaria a Rússia a ampliar sua zona de influência e causaria a criação do Estado de Israel na Palestina.

O plano para a Terceira Guerra Mundial seria baseado nas divergências de opiniões que os Illuminati criariam entre os sionistas e os árabes. Programar-se-ia uma extensão do conflito numa escala mundial.

Uma parte da Terceira Guerra consistiria em confrontar nihilistas e ateus para provocar uma desordem social, que se iniciaria, logo após confrontos de uma brutalidade e de uma bestialidade jamais vistas. Após o Cristianismo e o ateísmo serem reduzidos a nada, seria apresentado aos seres humanos a verdadeira “doutrina luciferiana”, o que permitiria matar dois coelhos com um só golpe.

Observação sobre a situação atual:

Ao apresentar a Rússia como a “Besta Negra”, obriga-se as nações ocidentais a aprovar as alianças supranacionais as quais elas não teriam jamais se concluído por si mesmas (OTAN, ONU). Além disso, o império russo, tido como inimigo do mundo, faz florescer o comércio internacional de armamento, o que seria novamente um proveito para os banqueiros internacionais.

Evidentemente, nós teremos todo um cenário alternativo com relação à Segunda Guerra Mundial, bem diferente do que nos foi ensinado nos livros escolares.

Fonte: Livro «As Sociedades Secretas e o seu Poder no Século XX» de Jan Van Helsig

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here