BIOGRAFIA: Cheiro, o Grande

1
3441
Cheiro, um dos quiromantes mais populares e vibrantes, cartomantes e videntes XIX e inicio do século XX
Cheiro, um dos quiromantes mais populares e vibrantes, cartomantes e videntes XIX e inicio do século XX

William John Warner, mais conhecido como Cheiro (1 de Novembro de 1866 8 de Outubro de 1936) foi um astrólogo irlandês e figura oculta colorida no início do Século XX. A sua alcunha, Cheiro, é derivada da palavra Quiromancia. Intitulava-se a si próprio de clarividente que ensinava Quiromancia, Astrologia e Numerologia caldaica. Durante a sua carreira,  foi celebrado por usar estas formas de adivinhação para fazer previsões pessoais a clientes famosos e prever Eventos mundiais.

Vida pessoal

Cheiro nasceu numa vila nos arredores de Dublin, na Irlanda. Adoptou o nome Count Louis Hamon (ou Count Leigh de Hamong).

Como mencionado nas suas memórias, Cheiro adquiriu a sua perícia na Índia. Enquanto adolescente, viajou para o porto de Bombaim no Apollo Bunder. Foi lá que conheceu o seu guru, um Brahman indiano, que o levou para a sua aldeia no vale da região de Konkan, em Maharashtra. Mais tarde, os Brahmans permitiram-lhe que estudasse um antigo livro com muita investigação feita sobre mãos, cujas páginas eram feitas de pele humana e escritas com ouro. Ainda hoje este livro permanece guardado e protegido com extremo cuidado. Após estudar completamente o livro durante dois anos, voltou a Londres e começou a sua carreira como quiromante.

Cheiro era relutante em relação a casar-se, mas foi alertado de que estava predestinado a casar numa fase tardia da sua vida. Casou-se após uma mulher ter cuidado dele durante uma doença grave. Nas suas memórias, é dedicado um capítulo exclusivamente a este assunto.

Carreira

Cheiro teve um vasto leque de clientes europeus e americanos famosos durantes os finais do Século XIX e início do Século XX. Lia as palmas das mãos e ditava a sina de famosas celebridades como Mark Twain, W. T. Stead, Sarah Bernhardt, Mata Hari, Oscar Wilde, Grover Cleveland, Thomas Edison, o Príncipe de Wales, o General Kitchener, William Ewart Gladstone e Joseph Chamberlain. Documentou as sessões com estes clientes pedindo-lhes que assinassem um ”Livro de Visitas” que tinha para o propósito, no qual os encorajava a comentarem as suas experiências com ele, em que lhes analisava o carácter e fazia previsões. Sobre o Príncipe de Wales, escreveu: ”Não ficaria surpreendido se ele não desistisse de tudo, incluindo o seu direito ao trono, pela mulher que amou.” Cheiro também previu que os judeus regressariam à Palestina e que o país chamar-se-ia novamente Israel.

O seu livro autobiográfico, «Memórias de Cheiro: As Reminiscências de uma Sociedade Palmista», incluiu relatos das suas entrevistas com o Rei Eduardo VII, William Gladstone, Charles Stewart Parnell, Henry Morton Stanley, Sarah Bernhardt, Oscar Wilde, o professor Max Muller, Blanche Roosevelt, a Comte de Paris, Joseph Chamberlain, Lord Russell de Killowen, Robert Ingersoll, Ella Wheeler Wilcox, Lillie Langtry, W. T. Stead, Richard Croker, Natalia Janotha e outras proeminentes pessoas da sua época.

O livro «Últimos Segredos do Titanic» inclui uma conta detalhada de uma das leituras de palma com William Pirrie, presidente da Harland and Wolf, construtores do Titanic. Cheiro previu que em breve ele estaria a lutar pela sua vida, referindo-se à batalha em torno do afundamento do Titanic.

“Tornou-se num estudo que não é contrário aos ditames da razão, mas de acordo com as leis da natureza que observamos na formação dos objectos inanimados, ainda que, ao demonstrar o efeito de uma causa actual, nele esteja a causa de um efeito posterior” – Cheiro em «Astrologia»

Cheiro foi tão popular como uma ”Sociedade Palmista” que até aqueles que não acreditavam no oculto tiveram as suas palmas lidas por ele. O céptico Mark Twain escreveu no livro de visitantes de Cheiro:

Cheiro expôs a minha personagem a mim próprio com uma precisão humilhante. Eu não devia confessar a sua precisão e ainda sou impedido de fazê-lo.”

Outras referências no livro de visitantes incluem:

”O estudo de pessoas dotadas de poderes ocultos têm despertado o meu interesse desde há alguns anos. Eu conheci e consultei vários. Considero Cheiro o mais dotado de todos. Ele ajuda tanto quanto surpreende.” – Ella Wheeler Wilcox.

“Você é maravilhoso. Que mais posso dizer?” – Madame Nellie Melba.

Linhas das mãos
Linhas das mãos

Morte

Após alguns anos em Londres e muitas voltas ao mundo, Cheiro emigrou para a América. Passou os últimos anos da sua vida em Hollywood, atendendo um máximo de 20 clientes por dia e escrevendo alguns roteiros antes da sua morte por ataque cardíaco, em 1936. A sua viúva, a condessa Lena Hamon, afirmou que o seu marido – que tinha sido amigo e conselheiro de actores de filmes até tarde na sua vida e também da aristocracia e realeza europeia no início da carreira -, aos 69 anos, previu a hora da sua própria morte no dia antes de morrer.

Da Revista Time de 19 de Outubro de 1936:

Faleceu. O conde Louis Hamon (“Cheiro“), 69 anos, celebrou a quiromancia dos velhos tempos, após longa doença, em Hollywood. Autor de um livro sobre quiromancia aos 13 anos, amealhou 250,000 dólares de clientes ricas do sexo feminino e foi dono de um jornal escrito em inglês em Paris, «The American Register». Na noite em que morreu, disse a sua enfermeira, o  ponteiro relógio no exterior do seu quarto passou pela uma hora, três vezes.

Cheiro afirmou que nunca compreendeu os seus dons únicos e acredita-se que os perdeu em 1906. Um mau manuseio do dinheiro de um cliente resultou na sua prisão. Algumas contas da sua vida tardia dizem que após a sua libertação da prisão, ele não reteve o seu dinheiro nem manteve os seus amigos. Quando deixou de ser rico e poderoso, as pessoas com quem se relacionava não quiseram ter mais nada a ver com ele.

Bibliografia

Os livros que Cheiro escreveu sobre o oculto centravam-se na adivinhação. Muitos dos livros de Cheiro sobre o Ocultismo e Adivinhação ainda estão impressos hoje e estão disponíveis em edições escritas em inglês e línguas estrangeiras.

Em 2006, a Universidade de Tampa Press emitiu uma nova edição crítica sobre o seu trabalho ficional, «A Study of Destiny» – «O Estudo do Destino», como o segundo volume da série «Visões Insistentes» – uma série dedicada à reimpressão de trabalhos pouco conhecidos ou negligenciados sobre ficção sobrenatural, ficção científica, mistérios ou histórias de aventura do Século XIX. A nova edição está editada com introdução, posfácio e notas de Sean Donnelly.

Numerologia

  • «Cheiro’s Book of Numbers»

Quiromancia

  • «Cheiro’s Language of the Hand (first self-published in 1894)»
  • «Cheiro’s Guide to the Hand»
  • «You and Your Hand»
  • «Cheiro’s Palmistry for All»
  • «The Cheiro Book of Fate and Fortune»

Astrologia

  • «Where were you Born?»
  • «Cheiro’s You and Your»

Outros

  • «Cheiro’s Book of World Predictions»
  • «Cheiro’s Memoirs: The Reminiscences of a Society Palmist»
  • «Titanic’s Last Secrets»
  • «True Ghost Stories (attested tales of paranormal experiences)»

Ficção

  • «A Study of Destiny (also published as The Hand of Fate, first released in 1898)»

Número de artigos (Cheiro, o Grande): 1

LISTAGEM:


Html code here! Replace this with any non empty text and that's it.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here