BIOGRAFIA: Noam Chomsky

0
2503
Noam Chomsky
Noam Chomsky

Avram Noam Chomsky (Filadélfia, 7 de Dezembro de 1928) é um linguísta, filósofo e activista político norte-americano, professor de Linguística no Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

O seu nome está associado à criação da gramática ge(ne)rativa transformacional. É também o autor de trabalhos fundamentais sobre as propriedades matemáticas das linguagens formais, sendo o seu nome associado à chamada Hierarquia de Chomsky.

Os seus trabalhos combinam uma abordagem matemática dos fenómenos da linguagem com uma crítica do behaviorismo, nos quais a linguagem é conceptualizada como uma propriedade inata do cérebro/mente humanos, contribuem decisivamente para a formação da Psicologia Cognitiva, no domínio das Ciências Humanas.

Além da sua investigação e ensino no âmbito da linguística, Chomsky é também conhecido pelas suas posições políticas de esquerda e pela sua crítica da política externa dos Estados Unidos. Chomsky descreve-se como um socialista libertário. Identifica-se com o anarcossindicalismo, havendo também quem o associe ao anarcocomunismo ou ao comunismo de conselhos. [1] [2] [3]

Chomsky nasceu na cidade de Filadélfia, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, filho de um estudioso do hebraico e professor, William Chomsky. Em 1945, começou a estudar Filosofia e Linguística na Universidade da Pensilvânia com Zellig Harris, professor com cuja visão Política ele se identificou. Antes de receber o seu doutoramento em Linguística pela Universidade da Pensilvânia em 1955, Chomsky realizou a maior parte de sua pesquisa nos quatro anos anteriores na Universidade de Harvard como investigador assistente. Na sua tese de doutoramento, um trabalho de mais de mil páginas, desenvolveu a sua abordagem original às ideias linguísticas, tendo um resumo sido publicado no seu livro de 1957 «Syntactic Structures» («Estruturas Sintácticas»), numa editora holandesa, por recomendação de Roman Jakobson. A recensão crítica desta obra por Robert Lees teve um papel fundamental na sua divulgação e reconhecimento como trabalho revolucionário.

Em 195859 esteve no Instituto de Estudos Avançados de Princeton. [4]

Depois de receber o doutoramento, Chomsky passou a leccionar no MIT, cerca de 40 anos consecutivos, sendo nomeado para a “Cátedra de Línguas Modernas e Linguística Ferrari P. Ward“. Durante esse período, Chomsky tornou-se publicamente muito empenhado no activismo político e, a partir de 1964, protestou activamente contra o envolvimento norte-americano na Guerra do Vietname. Em 1969, publicou o livro «American Power and the New Mandarins» («O Poder Americano e os Novos Mandarins»), um livro de ensaios sobre essa guerra. Desde então, Chomsky tornou-se mundialmente conhecido pelas suas ideias políticas, dando palestras por todo o mundo e publicando inúmeras obras. A sua ideologia política, classificada como socialismo libertário, rendeu inúmeros seguidores dentro do campo da esquerda mas também muitos detratores no outro extremo do espectro político. Durante este tempo, Chomsky continuou a pesquisar, a escrever e ensinar, contribuindo regularmente com novas propostas teóricas que virtualmente definiram os problemas e questões centrais da investigação linguística nos últimos 50 anos.

Em 1979, Paul Robinson escreveu no New York Times Book Review que “Pelo poder, alcance, inovação e influência de suas ideias, Noam Chomsky é indiscutivelmente o mais importante intelectual vivo, actualmente.” Contudo, Robinson continua o artigo afirmando que os trabalhos de Chomsky sobre Política são “terrivelmente simplistas”. Chomsky observa que “se não fosse por esta segunda afirmação, era capaz de pensar que estava a fazer algo errado… é verdade que o imperador está nu, mas o imperador não gosta que lhe o digam, e os cachorrinhos-de-colo do imperador como o The New York Times não vão gostar da experiência se você o fizer”.

Noam Chomsky
Noam Chomsky

Chomsky também tem recebido crédito de grupos culturais. O grupo musical Rage Against the Machine leva cópias de seus livros nas suas turnês. A banda de grunge Pearl Jam tocou pedaços de falas de Chomsky mixadas com algumas das suas músicas. O grupo de rock n’ roll REM convidou o linguista para palestrar antes dos seus shows, o que Chomsky recusou. Os discursos de Chomsky têm sido apresentados em lados B dos álbuns da banda Chumbawamba e outros grupos. O cantor e activista político Bono Vox, do grupo irlandês U2, disse que “Se o trabalho de um rebelde é derrubar o velho e preparar o novo, então este é Noam Chomsky, um rebelde sem pausas, o Elvis da Academia… Como o rock n’roll dos anos 1990 continua com as mãos atadas, é irónico que um homem de 65 anos de idade tenha o real espírito  de um rebelde”.

A revista Rolling Stone escreveu que Chomsky “está ao nível de Thoreau e Emerson no campo da literatura da rebelião”. A Village Voice comentou que “Com perspicácia (Chomsky), não enrola e diz realmente alguma coisa!”. Uma resenha no The Nation tinha a seguinte observação: “Não ler (Chomsky)… é cortejar a genuína ignorância”.

Avram” é uma outra forma de “Abraão“. “Noam” é uma palavra hebraica que significa “desprazeroso”, “sem prazer”. “Chomsky é o nome eslavo “Хомский“. A pronúncia original, de acordo com o Alfabeto Fonético Internacional, é [avram noam ‘xomskij]. Geralmente é anglicizada para [‘ævræm ‘nəʊm ‘tʃɒmᵖski] — ou [‘ævræm ‘noʊm ‘tʃamᵖski] com o sotaque norte-americano.

Bibliografia:

NOTAS:

[1] Richard Alexander. «Chomsky on Anarchism» by Noam Chomsky» (resenha).
[2] Vídeo: «On Anarchism». Conferência de Noam Chomsky no MIT.
[3] «The Relevance of Anarcho-Syndicalism». Noam Chomsky entrevistado por Peter Jay. libcom.org
[4] Dados Biográficos (em inglês).

Número de artigos (Noam Chomsky): 4

LISTAGEM:


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here