Astrónomos acreditam que os sinais misteriosos – anteriormente descartados como sendo explosões estelares – são provenientes de um planeta semelhante à Terra.

O planeta Gliese 581d possuiu condições capazes de sustentar a vida, e é provável que seja um planeta rochoso, com o dobro do tamanho da Terra.

Os sinais do planeta foram inicialmente descobertos em 2010, mas no ano passado descartado, como sendo ruído de estrelas distantes.

Agora, um outro estudo afirma que a pesquisa de 2014 foi baseada em “análises inadequadas de dados ” e que o Gliese 581d existe.

No ano passado, pesquisadores da Universidade do estado da Pensilvânia , disseram que Gliese 581d – e o seu companheiro Gliese 581g – eram simplesmente um efeito da luz causado por explosões magnéticos de uma estrela local a 22 anos-luz de distância.

A nova pesquisa britânica, no entanto, argumenta que o método utilizado pela equipa da Pensilvânia era adequado apenas para grandes planetas, e que este método poderia falhar pequenos planetas como o GJ 581d.

O estudo, realizado pela universidade Queen Mary de Londres e pela universidade de Hertfordshire, afirma utilizar um modelo mais preciso sobre os dados existentes.

[caption id="attachment_33277" align="aligncenter" width="824"]Órbita do planeta GJ 581d comparada com a da Terra Órbita do planeta GJ 581d comparada com a da Terra[/caption]

“A existência (ou não) do GJ 581d é importante porque foi o primeiro planeta semelhante à Terra descoberto, na zona “Goldilocks“, em torno de outra estrela e é um caso referencial para a técnica Doppler,” disse o autor principal, o dr. Guillem AngladaEscudé.

“Há sempre discussões entre os cientistas sobre as maneiras como interpretamos os dados, mas estou confiante de que o GJ 581d está em órbita em torno do Gliese 581 durante todo o tempo”.

“Em qualquer caso, a força da sua indicação foi muito forte”.

“Se a sua forma de tratar os dados estava certa, então alguns projectos de pesquisa de planetas, em vários observatórios terrestres teriam de ser significativamente revistos dado que eles estão todos com o objectivo de detectar planetas ainda mais pequenos”.

“É necessário ter mais cuidado com este tipo de alegações”.

GJ 581d acredita-se ser o primeiro planeta fora do nosso sistema solar na zona de “Goldilocks” em torno da sua estrela – uma área não muito quente nem muito fria para a vida.

Para encontrar o Gliese 581d, os astrónomos da Universidade da Califórnia em Santa Cruz originalmente observaram para as subtis mudanças na luz causada pela gravidade de um planeta em órbita arrastando-a para trás e para frente sobre a estrela.

A força do puxão, acreditavam eles, mostrou-lhes um planeta que era aproximadamente três vezes a massa da Terra.

[caption id="attachment_33279" align="aligncenter" width="893"]Comparação entre o Planeta Gliese 581c e a Terra Comparação entre o Planeta Gliese 581c e a Terra[/caption]

Na altura, a descoberta de planetas semelhantes à Terra em torno de Gliese 581 captou a imaginação do público.

A documentarista RDF e a rede social da Internet Bebo usaram um telescópio de rádio na Ucrânia para enviar um poderoso feixe focalizado de informações – 500 mensagens do público sob a forma de ondas de rádio – para o planeta Gliese 581.

O ministro da Ciência da Austrália na altura organizou 20.000 utilizadores do Twitter para enviar mensagens para o sistema solar distante, na sequência das descobertas.

Outros exoplanetas já foram anteriormente postos em dúvida, principalmente o Alpha Centauri Bb, o mais próximo em termos de tamanho da Terra para nós, que alguns cientistas afirmam poderia ser apenas ruído nos dados.

Video de simulação do planeta Gliese 581d:

https://youtu.be/lSmTt1HQRw4 Fonte: Mail Online

0
359
Planeta Gliese 581d
Planeta Gliese 581d

Astrónomos acreditam que os sinais misteriosos – anteriormente descartados como sendo explosões estelares – são provenientes de um planeta semelhante à Terra.

O planeta Gliese 581d possuiu condições capazes de sustentar a vida, e é provável que seja um planeta rochoso, com o dobro do tamanho da Terra.

Os sinais do planeta foram inicialmente descobertos em 2010, mas no ano passado descartado, como sendo ruído de estrelas distantes.

Agora, um outro estudo afirma que a pesquisa de 2014 foi baseada em “análises inadequadas de dados ” e que o Gliese 581d existe.

No ano passado, pesquisadores da Universidade do estado da Pensilvânia , disseram que Gliese 581d – e o seu companheiro Gliese 581g – eram simplesmente um efeito da luz causado por explosões magnéticos de uma estrela local a 22 anos-luz de distância.

A nova pesquisa britânica, no entanto, argumenta que o método utilizado pela equipa da Pensilvânia era adequado apenas para grandes planetas, e que este método poderia falhar pequenos planetas como o GJ 581d.

O estudo, realizado pela universidade Queen Mary de Londres e pela universidade de Hertfordshire, afirma utilizar um modelo mais preciso sobre os dados existentes.

Órbita do planeta GJ 581d comparada com a da Terra
Órbita do planeta GJ 581d comparada com a da Terra

“A existência (ou não) do GJ 581d é importante porque foi o primeiro planeta semelhante à Terra descoberto, na zona “Goldilocks“, em torno de outra estrela e é um caso referencial para a técnica Doppler,” disse o autor principal, o dr. Guillem AngladaEscudé.

“Há sempre discussões entre os cientistas sobre as maneiras como interpretamos os dados, mas estou confiante de que o GJ 581d está em órbita em torno do Gliese 581 durante todo o tempo”.

“Em qualquer caso, a força da sua indicação foi muito forte”.

“Se a sua forma de tratar os dados estava certa, então alguns projectos de pesquisa de planetas, em vários observatórios terrestres teriam de ser significativamente revistos dado que eles estão todos com o objectivo de detectar planetas ainda mais pequenos”.

“É necessário ter mais cuidado com este tipo de alegações”.

GJ 581d acredita-se ser o primeiro planeta fora do nosso sistema solar na zona de “Goldilocks” em torno da sua estrela – uma área não muito quente nem muito fria para a vida.

Para encontrar o Gliese 581d, os astrónomos da Universidade da Califórnia em Santa Cruz originalmente observaram para as subtis mudanças na luz causada pela gravidade de um planeta em órbita arrastando-a para trás e para frente sobre a estrela.

A força do puxão, acreditavam eles, mostrou-lhes um planeta que era aproximadamente três vezes a massa da Terra.

Comparação entre o Planeta Gliese 581c e a Terra
Comparação entre o Planeta Gliese 581c e a Terra

Na altura, a descoberta de planetas semelhantes à Terra em torno de Gliese 581 captou a imaginação do público.

A documentarista RDF e a rede social da Internet Bebo usaram um telescópio de rádio na Ucrânia para enviar um poderoso feixe focalizado de informações – 500 mensagens do público sob a forma de ondas de rádio – para o planeta Gliese 581.

O ministro da Ciência da Austrália na altura organizou 20.000 utilizadores do Twitter para enviar mensagens para o sistema solar distante, na sequência das descobertas.

Outros exoplanetas já foram anteriormente postos em dúvida, principalmente o Alpha Centauri Bb, o mais próximo em termos de tamanho da Terra para nós, que alguns cientistas afirmam poderia ser apenas ruído nos dados.

Video de simulação do planeta Gliese 581d:

Fonte: Mail Online

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here