Relatório Oficial encontrou evidências suficientes de que o Mercúrio nas Vacinas é perigo para a Saúde Pública

0
71
Relatório do U.S. Office Special Council (OSC) encontrou evidências suficientes de que o Mercúrio nas Vacinas é perigo para a Saúde Pública
Relatório do U.S. Office Special Council (OSC) encontrou evidências suficientes de que o Mercúrio nas Vacinas é perigo para a Saúde Pública

Um relatório feito pelo U.S. Office Special Council – OSC (um Departamento de Procuradoria e Investigação Norte-Americano Independente) em 2004 encontrou provas suficientes de que o Mercúrio nas Vacinas constitui perigo para a saúde pública

A 22 de Maio de 2004, depois de centenas de denúncias ao U.S. Office Special Council, o conselheiro Scott Bloch emitiu a seguinte declaração dirigida ao Presidente do Comité do Senado:

“Recebi recentemente centenas de relatos de cidadãos particulares que alegavam um perigo generalizado para a Saúde pública, especificamente para bebés e crianças, causados pelas Vacinas pediátricas que incluem Timerosal: um preservante que contém Mercúrio.”

“É do conhecimento público que o programa de Vacinação norte-americano é administrado pelo Departamento de Saúde Americano (U.S. Department of health and Human Services (HHS)), sobre o qual você tem jurisdição de supervisão.”

“Como nenhum dos indivíduos que fizeram estas denúncias são funcionários federais, ou antigos funcionários federais, ou candidatos funcionários federais, o OSC não tem jurisdição sobre estes casos e não pode legalmente tomar qualquer acção perante estas alegações.”

“Contudo, apresso-me a dizer, que com base nas informações disponíveis, como vou referir em baixo, parecem existir provas suficientes acerca da probabilidade substancial de um perigo específico para a Saúde pública, causado pelo uso de Timerosal / Mercúrio nas Vacinas devido à sua toxicidade inerente.”

“Devido à gravidade destas alegações estou a reencaminhar para si uma cópia da informação denunciada, na sua capacidade como Director do Comité do Senado (Chairman of the Senate Commitee and House Commitee) e como autoridade supervisora do HHS (Departamento de Saúde Norte-Americano).”

“Espero que dê atenção a estas questões importantes e pressione o HHS para uma resposta a este grave problema de Saúde pública.”

“As denúncias alegam que o Timerosal / Mercúrio está ainda presente nas Vacinas infantis contrariando as declarações feitas pelas agências HHS: tanto o departamento de Investigação da Saúde como a Academia Americana de Pediatria.”

“De acordo com a informação fornecida, as Vacinas que contêm 25 mcg de Mercúrio e datas de validade até 2005 continuam a ser produzidas e administradas.”

“Os relatórios das denuncias alegam também, entre outras coisas, que os dados que mostram uma relação entre o Timerosal / Mercúrio e as doenças neurológicas já não existem, e que tem vindo a ser negado arbitrariamente o acesso às bases de dados do Centro para Prevenção e Controle de Doenças (CDC) aos investigadores independentes, além de que, estudos financiados por departamentos governamentais não têm levado em conta as vulnerabilidades genéticas das subpopulações.”

“Devido à elevada preocupação que estes cidadãos têm que dados adicionais que possam vir a ser recolhidos venham a ser destruídos, esses cidadãos pedem a salvaguarda imediata das bases de dados referentes à segurança das Vacinas, e outras informações relevantes do CDC, para que nenhuma informação crítica seja perdida.”

As denúncias alegam também que o CDC e a FDA (Food and Drug Adminstration) conspiraram com companhias Farmacêuticas numa conferência em Norcross, Geórgia, em Junho de 2000, para impedir a divulgação de um “estudo que demonstrava a correlação estatística entre a exposição ao Timerosal / Mercúrio nas Vacinas pediátricas e perturbações neurológicos tais como: autismo, défice de atenção/hiperatividade, gaguez, tiques nervosos, e atrasos no desenvolvimento da linguagem.”

“Em vez de divulgar os dados apresentados na conferência, o autor do estudo, Dr. Thomas Verstraeten publicou mais tarde uma versão diferente na revista Pediatrics de Novembro de 2003 no qual não demonstrou qualquer correlação estatística.”

“Não foi fornecida qualquer explicação para esta discrepância. Finalmente as denúncias alegam que existe um conjunto crescente de provas clínicas que fazem a ligação entre a exposição ao Timerosal / Mercúrio aos problemas neurológicos que têm sido ignorados pelo pelas agências governamentais de Saúde públicas.”

“Admito que o congressista Dan Burton, presidente do comité de investigação da Câmara dos Representantes, realizou audiências sobre as actividades do CDC relacionadas ao autismo mais recentemente em Abril de 2002.”

“Durante as audiências o Dr. David Basket, um neurologista da Faculdade de Medicina Baylor testemunhou sobre a sua pesquisa e as graves consequências da exposição ao Mercúrio.”

“O Dr. Basket concluiu que mesmo que a ligação ao Autismo não tenha sido provada conclusivamente, com base no que já se conhece à data sobre o Mercúrio como neurotoxina mortal, e porque o Timerosal não é um componente essencial das Vacinas, não existe razão para continuar a injectar propositadamente este componente na corrente sanguínea de crianças.”

“Acredito que estas alegações levantam sérias preocupações tanto quanto à administração do programa nacional de Vacinas, quanto à resposta possivelmente inadequada do governo em relação à crescente investigação científica relativa ao perigo de Saúde pública do Mercúrio nas Vacinas. As alegações também apresentam informação perturbadora relativa à exposição cumulativa do Mercúrio nas crianças e a ligação entre essa exposição e problemas neurológicos crescentes tais como o Autismo, e outras perturbações ligadas ao Autismo em crianças nos Estados Unidos.”

Notas:

1 – CDC – Centro de controlo e prevenção de doenças, equivalente à DGS em Portugal.

2 – FDA – Departamento de Controlo de Alimentos e Medicamentos, equivalente em parte ao INFARMED em Portugal.

 Fontes:

[1] OSC Forwards Public Health Concerns on Vaccines to Congress.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here