COVID-19: Suécia, o país que não confinou

0
2918
Projecções de Mortalidade na Suécia para o COVID-19 vs. Mortalidade Real
Projecções de Mortalidade na Suécia para o COVID-19 vs. Mortalidade Real

O gráfico acima corresponde às projecções feitas pelo Imperial College of London em relação à mortalidade na Suécia, a azul (85 mil mortos caso não houvesse confinamento – e não houve), a amarelo as projecções, caso houvesse confinamento (ainda assim, um número muito elevado de mortos), e com valores muito abaixo, a vermelho, a mortalidade real. Atenção que a distribuição não está correcta porque não tem em conta os dias exactos das mortes. [1]

A discrepância é enorme e o gráfico fala por si.

Trata-se de mais um exemplo das projecções ridiculamente alarmistas produzidas pelo Imperial College of London, na pessoa de Neil Fergusson em relação à possível letalidade da COVID-19. [1]

E foram estas projecções, completamente desfasadas da realidade, que estiveram na base do alarmismo tremendo que se criou e que veio a culminar no confinamento de toda a população.

Mortalidade na Suécia comparada com outros anos, no mesmo período do ano

Mortalidade na Suécia em 2020, comparada com outros anos
Mortalidade na Suécia em 2020, comparada com outros anos [2]

O gráfico anterior faz uma comparação entre a mortalidade do ano de 2020 e a de outros anos anteriores, no mesmo período do ano. [2]

Apesar da mortalidade apresentar uma tendência decrescente ao longo dos anos e em 2020, apresentar uma ligeira subida relativamente à tendência dos anos anteriores (gráfico seguinte) [3], o que se pode dever a diversas causas (inclusive um pico tardio de infecções respiratórias), como se pode verificar pelos gráficos em questão, houve anos com muito maior mortalidade do que o de 2020, sem que, por causa disso, se tenha declarado qualquer Pandemia mortífera ou se tenha decretado confinamentos.

Mortalidade na Suécia em 2020, comparada com anos anteriores
Mortalidade na Suécia em 2020, comparada com anos anteriores [3]

Comparação entre o caso da Suécia e o de Nova York

Conforme se pode verificar pelo gráfico seguinte, apesar de Nova York ter implementado o confinamento (lockdown) antes do aparecimento do suposto surto de COVID-19, e de que o objectivo declarado do confinamento ser achatamento da curva, torna-se claro que esse objectivo não foi cumprido, ao contrário do caso da Suécia, que apesar de não ter efectuado confinamento, achatou efectivamente a curva.

Comparação entre os casos da Suécia e de Nova York
Comparação entre os casos da Suécia e de Nova York [6][7][8]

A Comunicação Social portuguesa veiculou de forma propagandística que o caso da Suécia teria sido uma “tragédia”. No entanto, um estudo de Cambridge concluiu que Portugal classificou-se como pior na gestão da “Pandemia” do que a Suécia. [4][5]

Como a Suécia não efectuou confinamento (lockdown), poderá concluir-se que não foi por isso que aconteceu alguma tragédia, como foi previsto, e prova-se também a não necessidade de confinamento.

Fontes:

[1] Artigo «As projecções mirabolantes que lançaram alarmismo e conduziram ao confinamento em todo o mundo». Paradigmas.

[2] Instituto Nacional de Estatística da Suécia

[3] Mortality.org

[4] «Portugal pior que a Suécia na resposta à pandemia, diz estudo de Cambridge.» Diário de Notícias. 15 de Julho de 2020. 

[5] Sustainbale Development Report 2020. Cambridge University Press.

[6] Ministério da Saúde Sueco

[7] Covid Tracking Project (Nova York)

[8] «Why Sweden Succeeded in “Flattening the Curve” and New York Failed.» Foundation for Economic Education (FEE). 15 de Julho de 2020.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here