Testar positivo à COVID-19 pode não implicar que a pessoa esteja infectada

0
3085
Gráfico do período de infecção COVID-19 e quantidade de RNA viral
Gráfico do período de infecção COVID-19 e quantidade de RNA viral

Um estudo levado a cabo pelo Centre for Evidence-Based Medicine da Universidade de Oxford, fez uma revisão de 25 estudos onde os espécimens de vírus provenientes de testes positivos foram colocados numa placa de petri para se tentar perceber se se propagavam. Descobriu-se que testar positivo no teste PCR poderá não indicar que a pessoa esteja infectada / doente. [2]

Este método de “cultura viral” poderá indicar se um teste positivo é sinónimo de um vírus activo que se pode reproduzir e espalhar ou apenas fragmentos de um vírus “morto” que não se reproduzem em laboratório nem no organismo de uma pessoa.

A maior parte das pessoas fica infectada durante cerca de uma semana, mas pode testar positivo semanas depois, conforme se pode perceber de forma mais visual através do gráfico apresentado.

O PCR continua a testar positivo muito para além da fase activa da infecção, o que de resto, também se verifica com outras infecções (SARS-CoV, MERS, Influenza, Ebola e Zika) [4]

Um resultado positivo no PCR poderá ser assim a consequência da elevada sensibilidade do teste, que poderá estar a captar fragmentos virais de infecções antigas.

Os investigadores afirmam que esta questão poderá estar a inflacionar a gravidade percepcionada da pandemia.

O Prof. Carl Heneghan refere que esta pode ser a explicação para o porquê do número de casos continuar em crescendo quando as admissões a hospitais continuam estáveis e em números reduzidos. [1][3]

Fontes:

[1] Viral cultures for COVID-19 infectivity assessment. Systematic review. Tom Jefferson, Elizabeth Spencer, Jon Brassey, Carl Heneghan medRxiv 2020.08.04.20167932; doi: https://doi.org/10.1101/2020.08.04.20167932

[2] Tom Jefferson; Carl Heneghan; Elizabeth Spencer & Jon Brassey (2020). Are you infectious if you have a positive PCR test result for COVID-19?. Centre for Evidence-Based Medicine.

[3] «Coronavirus: Tests ‘could be picking up dead virus’». BBC News. 5 de Setembro de 2020.

[4] Barry Atkinson; Eskild Petersen (2020). SARS-CoV-2 shedding and infectivity. DOI:https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30868-0

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here