Chlorella e Espirulina eficazes no tratamento do vírus da Hepatite C

0
424
Chlorella e a Espirulina, algas que curam

Investigadores do hospital Northgate Springfield Massachusetts determinaram que a Chlorella é um tratamento viável para a hepatite C, adicionando à pesquisa clínica já existente indicam outra alga azul-verde, Espirulina, actua como um agente terapêutico no tratamento do vírus da hepatite C, também.

Os pesquisadores trataram 18 adultos que tiveram casos crónicos do vírus da hepatite C (HCV) com Chlorella durante doze semanas, conjuntamente com um grupo de 26 pacientes que actuaram como indivíduos de controlo – recebendo tratamento convencional.

Os pacientes foram testados às enzimas hepáticas e outros sintomas de doença do fígado, muitas vezes fatal, antes e após o período de tratamento de 12 semanas e para além destas.

Os pesquisadores deram aos pacientes 1000 miligramas de Chlorella durante a primeira semana, e em seguida, 1500 durante o restante período. Isto foi adicionado a 30 mililitros de líquido Chlorella dado durante todo o período experimental.

As enzimas do fígado de aspartate aminotransferase (AST) e alanine aminotransferase (ALT) foram medidas no final do período de testes de três meses. O fígado produz níveis elevados destas enzimas quando está a sofrer de infecção ou de toxicidade química. No caso da hepatite o fígado está a lidar com um vírus que infecta milhões de pessoas no mundo inteiro.

Os pesquisadores também testaram alterações genéticas, especificamente níveis virais de ARN. Isto indica a força da infecção e a carga viral.

Chlorella
Chlorella

Após as doze semanas de tratamento com Chlorella os pesquisadores descobriram que os níveis de AST de 70% dos pacientes de HCV diminuíram significativamente, e a maioria dos pacientes tinham diminuído os níveis de ALT. Além disso, 77% dos pacientes referiram um aumento dos níveis de energia, e 46% disseram sentir-se melhor.

Os pesquisadores também descobriram que o sistema imunológico dos pacientes foi melhorado. Eles afirmaram:

“Nós propusemos que as melhorias em testes de função hepática na nossa população com infecção crónica de HCV é mais provável devido ao efeito benéfico imunoestimulante da suplementação de Chlorella.”

Alterações genéticas nos vírus da hepatite também apresentaram melhorias entre os pacientes da Chlorella. Enquanto isso, aqueles pacientes que foram tratados com interferon e outra terapia convencional não tiveram as mesmas melhorias na imunidade ou na redução da enzima do fígado.

Os pesquisadores também descobriram que a Chlorella não apresentou efeitos colaterais negativos nos pacientes.

Estes resultados confirmam um estudo publicado em 2012, onde pesquisadores egípcios trataram 66 pacientes infectados com o vírus da hepatite C durante seis meses tanto com Spirulina platensis, – umas algas verde-azuladas relacionadas com a Chlorella – ou com o Silymarin. Silymarin é o componente activo da planta cardomariano (Silybum marianum), comprovado como um tratamento eficaz para doenças crónicas do fígado e hepatite.

Os pesquisadores testaram os pacientes antes do período de tratamento e aos três e seis meses nos sintomas de HCV e nas enzimas hepáticas. Ao grupo da Espirulina foi dado um total de 1500 miligramas de comprimidos de Espirulina por dia. Os comprimidos dados para cada grupo tinha aparência idêntica.

Espirulina
Espirulina

Uma vez mais, as enzimas do fígado – particularmente a AST – foram significativamente mais baixas no grupo da Espirulina. O grupo tratado com o Silymarin também tinha níveis reduzidos, mas não tanto como os trinta pacientes tratados com Espirulina experenciaram. Ao grupo da Espirulina também teve outra melhoria nos sintomas de HCV.

E mais uma vez, o tratamento com Espirulina não apresentou efeitos colaterais negativos nos pacientes.

A Chlorella e a Espirulina são geralmente classificadas como algas, e são ambas comercialmente produzidas em tanques, mas existem algumas diferenças entre elas. A Espirulina é uma cianobactéria azul-verde, enquanto a Chlorella é uma alga verde classificada mais como uma planta Eucariota. Os níveis de proteína da Espirulina são tipicamente mais elevados, atingindo mais de 75% em peso enquanto a Chlorella mantém entre 45 a 50% de proteína. Ambas têm 20 aminoácidos, muitos minerais, vitaminas e fitoquímicos. Por exemplo, a Espirulina contém sulfatados homopolissacáridos e sulfoglicolipídeos, que foram exibidos para estimular os macrófagos e as citocinas que envolvem as células virais.

Estimativas recentes sugerem que mais de 5% da população mundial poderá estar infectada com hepatite, e muitos dos países pobres têm os piores níveis de infecção. Deste modo de forma relativamente barata a medicina verde produzida tal como a Chlorella e a Espirulina devem tornar-se críticas na luta contra essas infecções.

Fonte: Greenmedinfo.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here